Economia Bárbara

Emprego

Brasil abre 99.232 empregos com carteira no melhor novembro em 9 anos

Puxado pela abertura de vagas no comércio, saldo é o dobro do esperado pelo mercado; indústria e agropecuária fecham postos no mês; no ano, serviços lideram contratações, segundo o Caged, divulgado pelo Ministério da Economia, nesta quinta (19)

Bárbara Leite

Publicado

em

No ano, país cria 948.344 vagas formais, desempenho mais forte para o período desde 2013; governo comemora–Foto: Agência Brasil

O Brasil registrou a criação líquida de 99.232 empregos com carteira assinada em novembro, o melhor desempenho para o mês desde 2010 e muito acima do previsto pelo mercado.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (19) pelo Ministério da Economia, a abertura de vagas formais é a maior desde novembro de 2010, quando o país criou 138.247 postos.

O resultado do mês, oitavo consecutivo com criação líquida de vagas, também veio muito acima das estimativas de analistas consultados em pesquisa Reuters, que projetavam abertura de 47.500 vagas.

Leia também: Desemprego cai a 11,6%, com informalidade recorde; 1 milhão saem do subemprego

No acumulado do ano até novembro, foram criadas 948.344 vagas, desempenho mais forte para o período desde 2013 (1,547 milhão de postos).

Comércio puxa emprego formal…

Apesar do bom resultado em novembro, apenas três dos oito setores pesquisados tiveram criação de vagas, com destaque para o comércio, que gerou 106.834 novos empregos.

Tradicionalmente, o segmento abre postos nesta época do ano para fazer frente à demanda das festas, mas a campanha da Black Friday também pode explicar o crescimento do emprego no setor.

Depois do varejo, vêm os serviços, que registraram a criação de 44.287 novas vagas formais, e completa o grupo que teve abertura de vagas, os serviços industriais de utilidade pública, com 419 novos postos no mês.

… mas indústria e agropecuária fecham vagas

Dentre os cinco setores que fecharam no vermelho, indústria de transformação e agropecuária encabeçaram a lista, com 24.815 e 19.161 vagas encerradas, respectivamente, no mês.

Na construção civil, foram encerrados 7.390 vagas, na administração pública, outras 652 e na atividade extrativa mineral, mais 290 vagas a menos em novembro.

No ano, serviços lideram contratações formais

Das 948.344 novas vagas criadas de janeiro a novembro, o setor de serviços encabeçou o ranking, com 495.577 novos postos com carteira.

Em seguida vem a indústria com a abertura de 123.931 novas vagas com carteira, seguida de perto do comércio, com 123.621 vagas, e na sequência aparece a construção civil, com 117.218 novos empregos formais.

Leia também: Quer emprego em 2020? Saiba as competências que as empresas buscam

O agronegócio gerou 58.833 postos de trabalho com carteira assinada no acumulado do ano.

Novas modalidades de trabalho: reforma trabalhista

Em novembro, foram registradas 17.686 admissões e 6.332 desligamentos na modalidade trabalho intermitente. O saldo ficou positivo em 11.354 empregos.

Criada por meio da reforma trabalhista, a modalidade permite jornada em dias alternados ou por horas determinadas.

Na modalidade de trabalho parcial, foram 6.635 admissões e 4.513 desligamentos. O saldo, portanto, foi positivo em 2.122 vagas.

Governo comemora resultado

Pelo Twitter, o secretário Especial da Previdência e do Trabalho, Rogério Marinho, comemorou os números do Caged para o mês de novembro.

“Esperamos uma geração de empregos ainda melhor em 2020, com a retomada da atividade econômica e a continuidade da agenda de reformas. A MP 905, do programa #VerdeAmarelo, é fundamental para a melhoria do ambiente de negócios e para criar melhores condições para empregabilidade”, afirmou.

*Com Reuters

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas