Economia Bárbara

Colunistas

‘Market maker’, o desconhecido que se arrisca por você

Pablo Spyer

Publicado

em

Você sabe o que é um “market maker” (o fazedor ou formador de mercado, em tradução livre)? Eles nasceram para dar liquidez para ativos geralmente ilíquidos, e assim dar mais atratividade quando são vendidos.

 Liquidez é o óleo da engrenagem de qualquer ativo financeiro e o sangue da economia

O dinheiro é igual ao sangue, tem que circular! Imagine você comprar um produto que não se pode vender. Não é muito atrativo, certo?

O “market maker” entra nessa história para dar fluidez ao mercado, fazendo com que esse negócio seja possível, dando mais segurança para o investidor.

Muitas vezes um investidor está interessado em um determinado ativo, mas a perspectiva de não conseguir vendê-lo leva a que ele não invista seu dinheiro naquele ativo. Mas quando o “market maker” entra na jogada, esse investidor se sente seguro para investir no ativo em questão. Se não for para o mercado em geral, será para o “market maker”.

Em geral, quem faz essa função são corretoras, bancos e outras instituições financeiras contratadas para essa finalidade.

Vamos pensar nesse nome. Por que chamam o cara que prova liquidez de fazedor de mercado?

A razão é a seguinte: imagine que um papel está com preços entre R$ 10 a R$ 20, e no sistema tem ordens para comprar 100 títulos, como ações ou debêntures, a R$ 10; aí você vende 1.000 títulos a R$ 10 e o fazedor de mercado compra de você.

Note que, para a operação ser concluída, alguém precisava comprar os seus 900 títulos, já que só havia ordens para comprar 100. Logo, o fazedor de mercado, literalmente, criou um mercado de 900 papéis para você. Ele fez o negócio acontecer. Ele é um verdadeiro fazedor de mercado. 

Também sem ele, você poderia ter que vender os seus papéis por valores mais baixos. Então, nesse sentido, ele também “fez” o seu preço ficar justo.

Mas não pense que a vida do “market maker”é fácil. Ele corre riscos ao fechar o lote de títulos com você.

Imagine as ações da Petrobras no dia em que o Bolsonaro anunciou, por meio de sua conta no Twitter, que a estatal iria reduzir o preço da gasolina. Todo mundo querendo vender, ele comprando tudo e e o preço não para de cair, e tem que comprar mais…

Esse é mais um dia na vida do desconhecido que aceita o risco para facilitar a negociação para você.

Conversei com Fabiana Perobelli, da B3. Confira nosso bate-papo:

Pablo Spyer é diretor operacional da corretora Mirae Asset e conselheiro da Ancord (associação das corretoras do Brasil). Com 24 anos de experiência no mercado financeiro, é especialista em investimentos em mercados emergentes. Suas competências vão desde gestão de ativos, passando por fundos de risco até mercado de ações, entre outras qualificações

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas