Economia Bárbara

Seu Bolso

EUA estudam retirar parte das tarifas contra a China, diz FT

De acordo com cinco fontes consultadas pelo jornal “Financial Times”, a Casa Branca está considerando a possibilidade de reverter impostos sobre US$ 112 bilhões em importações chinesas, aplicados em 15 de setembro

Bárbara Leite

Publicado

em

Guerra comercial entre EUA e China se arrasta há mais de 18 meses–Foto: Reprodução

Autoridades da administração Donald Trump estão debatendo se devem remover algumas tarifas existentes sobre produtos chineses, como uma concessão para selar um acordo parcial, já no início deste mês, que interromperia a guerra comercial com Pequim, publicou o jornal “Financial Times”, citando cinco fontes.

A notícia tende a ser bem recebida pelos mercados nesta terça-feira (5), ajudando a puxar o Ibovespa, referência da Bolsa brasileira, que fechou nesta segunda em novo recorde de fechamento, e a baratear o dólar.

De acordo com as cinco fontes consultadas pelo FT, a Casa Branca está considerando a possibilidade de reverter impostos sobre US$ 112 bilhões em importações chinesas, incluindo roupas, eletrodomésticos e monitores de tela plana, que foram taxadas em 15% em 1º de setembro.

A iniciativa dos EUA atenderia a uma demanda central de Pequim, já que os negociadores das duas maiores economias do mundo elaboram os termos de um “cessar-fogo” a ser assinado nas próximas semanas por Donald Trump, presidente dos EUA, e Xi Jinping, presidente da China.
Mas Washington provavelmente esperaria algo em troca, incluindo disposições reforçadas sobre a proteção da propriedade intelectual para empresas americanas, maior certeza na escala das compras chinesas de produtos agrícolas dos EUA e uma cerimônia de assinatura do acordo em solo americano.

O governo americano já havia suspendido um aumento planejado nas tarifas de US$ 250 bilhões de mercadorias chinesas, de 25% para 30%, que entraria em vigor em 15 de outubro, após uma visita dos principais negociadores chineses à capital americana, no início de outubro.

A guerra comercial entre as duas maiores potências mundiais, que começou há mais de 18 meses com troca de imposição de tarifas, vem desacelerando a economia mundial. Há três semanas, os países acordaram em avançar para chegarem a acordo e acabarem a guerra. Decidiram que o acordo seria dividido por etapas, e a primeira fase deveria ser concluída neste mês.

*Do Financial Times

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas