Economia Bárbara

Seu Bolso

Zara do Brasil é a mais cara do mundo

A conclusão é do Índex Zara, calculado pelo BTG Pactual pelo 5º ano, que compara os preços de uma cesta de 12 produtos da rede em 47 países com os valores nas lojas americanas da varejista

Bárbara Leite

Publicado

em

Tributos altos e operação local pequena ajudam a explicar por que o brasileiro paga mais caro na Zara do Brasil-Foto: Reprodução

Comprar uma sacola cheia de roupas da Zara sai mais caro no Brasil do que em qualquer um dos principais mercados em que a varejista de moda opera.

É o o que mostra o Índice Zara 2020, que mediu os preços de uma cesta de 12 produtos vendidos em lojas da Zara de 47 países (em 2019, eram 43 nações) e os comparou com os valores praticados nas lojas americanas da rede –convertendo os preços para dólar.

Criado pelo BTG Pactual, o índice chega à sua quinta edição e a conclusão é a mesma de 2019: a Zara do Brasil é a mais cara do mundo. Quando o Índice Zara começou a ser feito, em 2014, o Brasil também liderava o ranking, com produtos 21,5% mais caros do que nos EUA.

Neste ano, a pesquisa, que comparou apenas preços sem remarcações, mostra que os produtos da Zara agora são 6% mais caros no Brasil do que nos EUA, conferindo ao país, de novo, o título do local da rede onde as roupas pesam mais no bolso do consumidor. Ajustado a paridade do poder de compra dos brasileiros com os americanos, os preços do Brasil são 103% mais caros do que nos EUA.

No ano passado, porém, a diferença de preços para as lojas dos EUA era maior, de 18%.

Na vice-liderança estão a Suíça e a Tailândia com preços 5% mais altos do que na Zara dos EUA.

Na outra ponta, a Hungria e a Espanha, país de origem da Zara, que oferecem preços 35% menores do que os vendidos nas lojas americanas, são as nações onde a roupa da Zara sai mais em conta no mundo.

Para comprar a cesta dos 12 produtos da rede no Brasil, o consumidor teria de desembolsar US$ 644,7, contra metade na Espanha (US$ 396,5). 

Uma camiseta básica custa US$ 12,2 nas lojas espanholas; por aqui, o brasileiro precisa pagar US$ 29,3, ou 2,4 vezes mais pelo mesmo produto.

Tributos, regulação e logística

De acordo com os analistas do BTG Pactual, Luiz Guanais e Gabriel Savi, que assinam o estudo, “o Brasil é claramente um país difícil para as empresas fazerem negócios. Questões regulatórias, a
complexidade do sistema tributário e gargalos logísticos” estão entre os entraves ao sucesso dos varejistas estrangeiros no país.

Os impostos para os varejistas de roupas podem totalizar de 20% a 35% do preço da roupa no Brasil. Adicionando todos os impostos de uma indústria têxtil, um produto de jeans, por exemplo, tem cerca de 40% do seu valor final relacionado a impostos. Para produtos internacionais, a carga tributária de importação atinge 35% para roupas e calçados. Enquanto isso, no mundo todo, a tarifa média de importação de produtos de vestuário mundial foi de 17% em 2018, referem os analistas.

Segundo o levantamento, “dada a agenda liberal do governo brasileiro, um debate foi levantado sobre a redução do imposto de importação para 12% no caso de roupas e 15% para calçados. Embora acreditemos que um sistema tributário mais simples e mais barato poderia incentivar os varejistas estrangeiros a expandir ou iniciar operações no Brasil (para alguns, parece mais um retorno), acreditamos que a natureza fragmentada da indústria de vestuário brasileira o torna bastante desafiador para players que não possuem uma estrutura de cadeia de suprimentos estabelecida nacionalmente”.

Operação local pequena

Além das causas ligadas ao chamado “risco Brasil”, no caso da Zara, há também fatores ligados à operação no Brasil, onde a espanhola adotou um modelo operacional diferente do que usa lá fora.

A produção local é muito baixa, o que gera um maior risco cambial e torna mais longo o chamado “lead time”– o tempo gasto do desenvolvimento da coleção até à chegada às lojas (Quanto mais curto o “lead time”, maior a chance de acerto nas coleções). Segundo estima o banco, a produção local é bem menos que os40% produzidos localmente há dez anos.

Apenas 34 fábricas estão localizadas no Brasil ou na Argentina, o que representa apenas 0,5% das fábricas da Zara globalmente (7.235). Instalada no país desde 1999, a rede tem 56 lojas.

Índex Zara 2020

Lojas mais baratas da Zara….

(Preços de uma cesta de 12 produtos na Zara em relação aos valores praticados nos EUA)

Hungria: -35%
Espanha: -35%
Eslovênia: -32%
Grécia: -31%
Estônia: -29%
Portugal: -29%
Bélgica: -29%
Croácia: -27%
Índia: -27%
Turquia: -25%

… e as mais caras

Brasil: +6%
Suíça: +5%
Tailândia: +5%
Coreia do Sul: +4%
Rússia: +2%
Hong Kong: 1%
Japão: 1%

Fonte: BTG Pactual

Leia
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas