Economia Bárbara
  

Empresas e Negócios

Nova fase da Lava Jato mira repasses de Oi e Vivo para filho de Lula; ações tombam

Foi deflagrada a operação Mapa da Mina, que investiga transferências financeiras suspeitas de cerca de R$ 170 milhões envolvendo a empresa do filho do ex-presidente e as operadoras de telecomunicações

Bárbara Leite

Publicado

em

Na operação desta terça (10), 200 policiais federais cumprem 47 mandados de busca e apreensão–Foto: Reprodução

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta terça-feira (10) a 69ª fase da Operação Lava Jato, denominada Mapa da Mina. A nova etapa tem como objetivo investigar repasses financeiros suspeitos de cerca de R$ 170 milhões das empresas Oi/Telemar e Vivo/Telefônica em favor do grupo Gamecorp/Gol, que tem um dos filhos do ex-presidente Lula da Silva como controlador, informaram a PF e o Ministério Público Federal (MPF).

Ao todo, 200 policiais federais, com o apoio de 15 auditores fiscais da Receita Federal, cumprem 47 mandados de busca e apreensão nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e no Distrito Federal. Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal em Curitiba/PR.

Oi e sítio de Atibaia

O MPF disse em nota que há evidências de que parte dos R$ 132 milhões pagos pela Oi/Telemar à Gamecorp/Gol —que tem Fábio Luis Lula da Silva como sócio— foi utilizada para a aquisição do sítio de Atibaia no interesse de Lula, que recentemente teve condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) em outro caso relativo à propriedade.

As apurações indicam que tais pagamentos à Gamecorp/Gol, realizados entre 2004 e 2016, foram realizados sem justificativa econômica plausível, ao mesmo tempo em que o grupo Oi/Telemar foi beneficiado por diversos atos praticados pelo governo federal, segundo os procuradores.

Um dos exemplos é que a Oi/Telemar foi beneficiado pelo Decreto nº 6.654/2008, assinado pelo então presidente Lula, que permitiu a operação de aquisição da Brasil Telecom pelo grupo, disseram. Mensagens apreendidas no curso das investigações também denotam que o grupo Oi/Telemar foi beneficiado pela nomeação de conselheiro da Anatel, acrescentaram.

Vivo e editora

A operação também inclui mandados de busca e apreensão com o objetivo de apurar supostas irregularidades no relacionamento entre o grupo Gamecorp/Gol com a Vivo/Telefônica, especificamente no que diz respeito a um projeto que foi denominado como “Nuvem de Livros”, segundo o Ministério Público Federal.

Conforme a apuração, foi apurada movimentação na ordem de R$ 40 milhões entre a MovileInternet Móvel, empresa do grupo Telefônica/Vivo, e a Editora Gol no período de 2014 a 2016, disseram.

Lula está solto desde o início do mês passado após cumprir pena de prisão por 580 dias pelo processo do tríplex do Guarujá (SP), também no âmbito da Lava Jato, mas ter sido beneficiado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que barrou a detenção de condenados em segunda instância.

Procurada pela Reuters, a defesa do ex-presidente não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre a nova investigação. A Oi e Vivo também não responderam de imediato a pedidos de comentário.

Ações da Vivo e Oi tombam

Com a divulgação da nova operação da Lava Jato, as ações da Oi (OIBR3) tombavam 3,23% para R$ 1,22 pelas 10h35. Na abertura, a queda passou 5%.

Já os papéis da Telefonica Brasil (VIVT4) recuavam 0,46% para R$ 56,66. Mais cedo, a baixa passou de 2%.

*Com Reuters

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas