Economia Bárbara

Empresas e Negócios

Europa terá 1º ETF de maconha

Gestora de investimentos do Canadá, Purpose Investments vai lançar o primeiro fundo de índices europeu, que vai investir na indústria de cannabis legal

Redação

Publicado

em

O mercado legal de cannabis deve chegar aos US$ 50 bilhões até 2029, segundo a Jefferies -Foto: Reprodução

A gestora de investimentos do Canadá, Purpose Investments, vai lançar o primeiro ETF (Exchange Traded Funds, que são fundos de índices comercializados como ações) na Europa focado na indústria da maconha legal, segundo informou o jornal “Financial Times”.

O fundo chamado ETF de Cannabis Medicinal e Bem-Estar ficará disponível a partir da próxima segunda-feira, dia 13 de janeiro, e vai ser cotado na Alemanha, sendo válido para investidores do Reino Unido, de Itália e da Irlanda. 

O fundo cobrará 80 cêntimos por cada 100 euros aplicados e investirá em empresas que atuam no mercado de cannabis medicinal, cânhamo e canabidiol,  uma das substâncias químicas canabinoides encontradas na cannabis.

Leia também: Veja onde investir em 2020 com a Selic em 4,50%

Os ETFs de maconha se mostraram populares na América do Norte, apesar de um ano ruim para o setor. O maior ETF de cannabis do mundo, o ETFMG Alternative Harvest, listado nos EUA, que possui US$ 673 milhões em ativos de acordo com o compilador de dados ETFGI, perdeu 28,5% no ano passado. O segundo maior fundo, o ETF de US$ 327 milhões da Horizons Medical Marijuana Life Sciences, listado no Canadá, perdeu 33,8%.

A Purpose, que gerencia C$ 8 bilhões em ativos no Canadá, incluindo o Marijuana Opportunities Fund (Fundo de Oportunidades de Maconha) de C$ 34,2 milhões, trabalhou com o emissor do ETF HANetf no lançamento europeu.

O mercado legal de cannabis valia quase US$ 11 bilhões em todo o mundo em 2018 e deve atingir pelo menos US$ 50 bilhões até 2029, de acordo com pesquisa da Jefferies. Outros grupos de pesquisa preveem que o mercado pode ter pelo menos três vezes esse tamanho.

“A cannabis medicinal é uma indústria emergente com enorme potencial de crescimento e interesse significativo dos investidores”, disse ao jornal Hector McNeil, cofundador e codiretor executivo da HANetf. “Até agora, os investidores europeus experimentaram um acesso restrito ao mercado de cannabis”, acrescentou.

Leia também: 2019: ano em que investimentos de risco se deram bem

Som Seif, executivo-chefe da Purpose, acrescentou: “O setor de cannabis ainda está nos estágios iniciais de uma fase de crescimento plurianual e há muitas oportunidades para inovação e novas descobertas”.

No Brasil, a gestora de recursos Vitreo e a corretora XP Investimentos lançaram no fim do ano passado fundos de investimentos atrelados à maconha, que investem em ações de empresas que trabalham com a planta da maconha de forma legalizada em produtos para uso recreativo ou medicinal.

*Do Financial Times

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas