Economia Bárbara

Economia

Trump anuncia que voltará com tarifas sobre aço e alumínio do Brasil

Sobretaxa sobre produtos foi adotada no ano passado em meio à guerra comercial com a China, mas Brasil e Argentina tiveram ‘alívio’ da cobrança em agosto

Bárbara Leite

Publicado

em

Presidente dos EUA, Donald Trump, acusou o Brasil e a Argentina de desvalorizarem suas moedas–Foto: Reprodução

Os EUA vão voltar a impor tarifas sobre as importações de aço e alumínio procedentes de Brasil e Argentina, anunciou nesta segunda-feira (2) o presidente americano, Donald Trump, pelo Twitter.

“O Brasil e a Argentina têm presidido uma desvalorização maciça de suas moedas. o que não é bom para os nossos agricultores. Portanto, com efeito imediato, restaurarei as tarifas de todos os aços e alumínio enviados para os EUA a partir desses países. O Federal ….

..Reserve (Fed) também deve agir para que países, dos quais existem muitos, não aproveitem mais nosso dólar forte desvalorizando ainda mais suas moedas. Isso torna muito difícil para nossos fabricantes e agricultores exportar seus produtos de maneira justa. Taxas mais baixas e afrouxar – Fed!

Em agosto de 2018, Trump anunciou um alívio nas cotas de importação de aço e alumínio que excedam as cotas livres do pagamento de sobretaxas impostas pelo governo dos EUA em março do mesmo ano, em meio à guerra comercial do país com a China. A decisão de flexibilizar a tarifa atingiu as cotas de aço da Coreia do Sul, Brasil e Argentina e do alumínio da Argentina.

Leia também: Agenda econômica da semana: veja o que você precisa acompanhar

Desde então, as empresas americanas que comprarem aço do Brasil não precisavam pagar 25% a mais sobre o preço original, caso comprovem falta de matéria-prima no mercado interno.

O Brasil é o segundo maior exportador de aço para os EUA, só atrás do Canadá e o prejuízo da indústria brasileira pode chegar a US$ 4 bilhões (cerca de R$ 16,9 bilhões).

Leia também: No mês dos leilões frustrados, Chile ao rubro e ‘Buy Brazil’, dólar sobe 5,8% e bate recorde

O dólar está cotado a R$ 4,24, perto do novo recorde histórico, o que barateia os produtos brasileiros para a exportação e encarece a importação, bem como as viagens ao exterior.

*Com G1

Publicidade
Subscreva nossa Newsletter!
Cadastre seu e-mail para receber nossa Newsletter com dicas semanais.
Invalid email address

Mais Lidas